Depoimento de Caroline Silva Menezes – 2ª Colocada no concurso EsFCEx – Direito

Olá, queridos colegas, futuros tenentes!

Minha jornada, até a culminação dessa aprovação, em que pese curta, fora bastante penosa.

Primeiramente, cumpre registrar que jamais fui uma pessoa estudiosa, fiz todo meu ensino médio literalmente “nas coxas” e, após terminá-lo, ingressei na faculdade de Relações Internacionais, a qual, como tudo que fazia na minha vida, não levei a sério. Assim, quando me vi aos meus 22 anos sem nenhuma perspectiva, em um emprego ruim, resolvi fazer Direito. Nesse momento, todavia, prometi que seria melhor, nunca levei algo tão a sério tal como levei o curso de Direito. Não obstante, saí da faculdade pensando que nunca conseguiria passar num concurso e, dessa forma, iniciei a minha vida na advocacia. Contudo, estava infeliz.


Então, em abril de 2016, larguei um bom emprego e me aventurei no mundo dos concursos, focada na EsFCEx. Como meu então namorado, e hoje marido, já era concurseiro, foi um pouco mais fácil.

Essa história de bater edital nem cogitei… ainda mais o da EsFCEx. Nesse sentido, realizei todas as últimas dez provas do certame para balizar meu planejamento de estudos, identifiquei, por conseguinte, que não sabia ABSOLUTAMENTE nada de direito penal e processual penal militar, matérias essenciais, cobradas pormenorizadamente na prova, bem como as matérias referentes ao bloco de conhecimentos gerais.

À vista disso, ao longo de 2016, foquei nesses assuntos, fiz todas as questões disponíveis no Qconcursos sobre DPM e DPPM, justificando um por um os itens.

Em conhecimentos gerais, assistia a todos os filmes e documentários indicados pelos professores do Curso Cidade. Aos domingos, simulava como se estivesse fazendo a prova. Estudava, em média, umas 10 horas – contando com as vídeos aulas -, tinha como parâmetro de estudos o que li no depoimento do Tristão, uma vez que meu objetivo era passar na primeira tentativa.

Não consegui, fiquei majorada. No entanto, todo esse estudo me rendeu “bagagem”.

Pessoal, no intuito de motivá-los segue abaixo um breve resumo de alguns percalços que aconteceram comigo durante essa caminhada rumo aprovação:

CFO GYN – Aprovada, mas fora das vagas para próxima etapa (detalhe que eles retificaram o primeiro gabarito definitivo e neste tinha sido chamada para o TAF. Imaginem! Já tinha falado para toda minha família, enfim, mundo dos concursos é desse jeito);

CFO DF – Aprovada, todavia, reprovei no TAF. Posso dizer certamente que esse foi um dos dias mais triste da minha vida; e

Soldado MG – Julgada inapta no psicotécnico que ocorreu logo depois dessa reprovação no CFO DF. Também foi chato, tinha gastado um dinheirão com exames médicos e ainda fiz o TAF sem autorização do meu médico, pois tinha realizado uma cirurgia de desvio de septo.

Esse apanhado de “alterações” acima é para você que está desesperançado, se a azarada aqui conseguiu, será suave na nave para ti. Acredite, mano!!!

Galera, NÃO DESISTAM! A fila anda, um dia, chegará sua vez. Ah! Mais uma coisa, não se prendam a horas de estudo. Por exemplo: em 2016, estudei muito, mas, neste ano (2017), reduzi o ritmo, foquei em fazer questões e ler a lei seca, minha evolução foi bem maior.
Por fim, gostaria de agradecer à Deus por ter me dado forças para superar as adversidades, ao meu marido (coitadinho! Aguentava todas minhas crises de insegurança e ansiedade), à minha família (valeu, pai, por bancar sua filha trintona nesse período hehehe).

Também um agradecimento ao Curso Cidade, em especial:

Prof. Alexandre – ensinou-me tudo sobre a área castrense; Prof. Lúcio – Nossa! Aprendi direito penal com esse fera, isso, de fato, ajudou-me muitooooo em direito penal militar;

Prof. Evilásio – Suas frases motivacionais davam a mim força para continuar. “Disciplina é liberdade!”;

Prof. Emerson – Por disponibilizar um material caprichado, com direito a gabarito comentado;

Prof. Adriano – Os gritos desse baiano arretado ajudavam muito a mandar o sono embora. Cidade, deixa ele continuar gritando, pô!

Prof. Djalma – Esse professor barrigudinho deu uma dica de ouro que foi de grande valia nos meus estudos de história: ter na cabeça uma linha do tempo, evento que marcou o Brasil Colônia e o que deu fim a ele e assim sucessivamente;

Laurinha – Braço direito dos professores, funcionária multiuso do curso.

Deus os abençoe!!!

Depoimento de Caroline Silva Menezes

– 2ª Colocada no concurso EsFCEx – Direito

0 0 vote
Article Rating